Director: Lazaro Manhiça

Dialogando: Tmcel, assim não! - Mouzinho de Albuquerque

Vamos directo ao assunto: quem chega ao balcão da Moçambique Telecom (Tmcel), no rés- do- chão do prédio “Girassol”, na cidade de Nampula, percebe com facilidade, a existência de um ambiente preguiçoso, moroso, pouco simpático e de aparente falta de interesse no atendimento aos clientes.

Isso transparece nos rostos das trabalhadoras ali afectas, por haver falta de motivação no exercício das suas funções, o que não abona a nova empresa de reconhecida utilidade pública e que pretende reerguer-se no mercado depois da “tempestade” financeira que a assolou.

É uma situação que não tem sido reconfortante para os clientes que procuram os serviços daquela empresa. Não são poucas as vezes naquele balcão em que um cliente é “jogado” de uma caixa para outra, só porque uma ou outra trabalhadora não está “disposta” a atendê-lo. Por exemplo, há bem pouco tempo um cliente dirigiu-se àquele balcão a fim de tratar assunto do seu interesse, relacionado com uma recarga de 50 MT, que havia sido mal raspada. Quando chegou foi directamente a caixa nº 2, onde foi-lhe dito para se dirigir a caixa nº 1. Uma vez aqui, “remataram-lhe” de volta para a nº 2. Neste “ping-pong” o cliente acabou ficando tempo desnecessário no balcão para a recarga ser recebida e anotado o número do seu telemóvel para a sua recuperação. Depois de a trabalhadora que o atendeu ter recolhido a recarga e garantido que o valor da mesma seria enviado via SMS, o cliente nunca mais recebeu. E sempre que se dirige àquele balcão a fim de procurar sabre sobre a sua recarga, a resposta é sempre a mesma: não há sistema. Aliás, a alegada falta do sistema é um dos problemas que acontece de forma sistemática naquele balcão onde há muita conversa do que trabalho entre as trabalhadoras.

Do que se sabe é que a fusão entre as empresas Telecomunicações de Moçambique (TDM) e Moçambique Celular (Mcel), foi feita depois de terem sido criadas as condições necessárias para o efeito, nomeadamente nas áreas de recursos humanos, infra-estruturas, sistema comercial e venda e sistema tecnológico e de informática, isso tendo em conta que a decisão das autoridades governamentais de se fazer essa junção foi motivada pelo facto de as duas empresas públicas terem entrado numa situação de insolvência financeira, em parte por acumulação de dívidas com outras entidades, sobretudo bancárias.

Então, o que urge questionar é que, se se diz que a nova empresa está dotada de meios tecnológicos, financeiros e humanos capazes de responder às exigências do mercado e efectua a convergência dos serviços de telefonia fixa e móvel de voz, dados e internet, que como está dito, a partir dos quais se concretizou tal junção, porque se vai assistindo, pelo menos naquele balcão, o desleixo, ociosidade, morosidade e falta de respeito e valorização dos clientes na prestação de serviços?

Porque é que há falta sistemática do sistema informático? Talvez convenha lembrar que a Mcel já venceu o prémio mundial da GSM Association de “Melhor Rede Ecológica”, e já foi considerada uma das cincoempresas a nível mundial que mais contributo prestava à sociedade. No nosso país a ex-Mcel já tinha sido classificada como a melhor marca de telefonia móvel pelos consumidores, tal como a ela própria se considerou durante um longo período como operadora líder do mercado de telefonia móvel em Moçambique. Portanto, são indicadores que não podem ser esquecidos ou menosprezados depois da conclusão do processo desta fusão, na perspectiva de que essas “conquistas”, devem servir também de factores orientadores para que tenhamos a Tmcel que mostra o seu espírito inovador e empenho em resolver as constantes preocupações dos seus clientes e do público em geral, oferecendo melhores produtos e serviços do mercado.

A batalha pela conquista de novos clientes e elevação da taxa de cobertura territorial, se impõe a necessidade da tomada de atitudes reconfortantes por parte dos trabalhadores da empresa, que viabilizem o resgate do sentimento de confiança deles (clientes) à Tmcel. Até porque já se tinha ouvido dos mentores da fusão, que a mudança de mentalidade e cultura organizativa seriam um dos grandes desafios da Tmcel para o seu sucesso. É verdade que o registo de avanços e recuos num processo de fusão como este, deve ser entendido com razoabilidade à luz do contexto económico e financeiro do país, em que ela ocorreu, mas é preciso que se trabalhe pensando na salvaguarda dos interesses dos consumidores, que contavam que com essa junção daí viessem também melhorias, no que se refere particularmente à prestação de serviços aos clientes que nos últimos tempos se tinham deteriorado na antiga “orgulhosamente moçambicana”.

Sem tecermos juízos redutores sobre os objectivos da junção das duas empresas, por em parte sabermos efectivamente da complexidade desse processo, mas é necessário que a Tmcel impeça que haja no seu seio certas atitudes que não a credibiliza protagonizadas por alguns dos seus trabalhadores, não só naquele balcão, como noutros do país, que eventualmente estejam a acontecer, para que quando se olhe nela (Tmcel) ao nível da prestação de serviços, comparativamente aos tempos de Mcel ou TDM, não se possa dizer que a nova empresa está a regredir naquele aspecto (prestação de serviços), por não honrar o seu compromisso de imprimir nova dinâmica nesse domínio.

Para tal, a Tmcel precisa de impor necessariamente mudanças que constituam uma alteração do antigo paradigma de prestação de serviços, tanto na Moçambique Celular como na Telecomunicações de Moçambique.

Estamos certos ou cientes de que passados apenas dois anos da criação da Moçambique Telecom, pode não ser tempo suficiente para ser feito tudo, mas esquecer que a prestação de melhores serviços aos clientes, que é a razão da sua existência, pode ser uma “obra” de quem assina pactos com tudo e todos, menos com o bem, que deve ser uma preocupação de todos os trabalhadores da instituição.

CONVERSAS AOS SÁBADOS

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

Presidente: Júlio Manjate

Administrator: Rogério Sitóe

Administrator: Cezerilo Matuce

JORNAL DIGITAL


Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction