Imprimir
Categoria: Política
Visualizações: 2590

O Presidente da República, Filipe Nyusi, apelou à juventude para não se deixar enganar com promessas falsas de emprego, proveniente de pessoas que estão a recrutar jovens para protagonizarem ataques armados na região centro e norte do país.

Nyusi reagia à detenção há dias pelas autoridades policiais de seis indivíduos, supostamente pertencente à Junta Militar da Renamo.

Filipe Nyusi, aconselhou os jovens para se distanciarem desses grupos e apostarem no trabalho honesto.

A exortação foi feita, na manhã de hoje, na vila autárquica da Maganja da Costa, província da Zambézia, onde orientou um comício popular por ocasião da inauguração do sistema de abastecimento de água.

Filipe Nyusi disse que matar nunca foi trabalho. Para ele, as pessoas que estão a enganar os jovens, enquanto estão a viver bem e pretendem leva-los ao mato, ao invés de se preocuparem com o trabalho digno.

Há dias a polícia na Zambézia deteve seis homens supostamente pertencentes ao braço militar da Renamo que estavam a recrutar jovens para engrossarem as suas fileiras a fim de protagonizarem ataques armados na região centro do país.

Cada um dos detidos, tinham como meta o recrutamento de cinquenta jovens para reabrir as bases militares de Morrumbala, Milange e Namarrói, regiões com forte influência da Renamo desde a guerra civil dos dezasseis anos.

PR quer água potável em todas as localidades

No seu discurso, Filipe Nyusi, disse que o desafio do governo é levar água a todas as localidades do país, de forma a melhorar a qualidade de vida do capital humano e estimular acções de desenvolvimento socioecónomico.

Falando em comícios separados por ocasião de inauguração dos sistemas de abastecimento de água as autarquias da Maganja da Costa e Alto Molócuè na Zambézia, Filipe Nyusi afirmou que o executivo não vai descansar enquanto a população que reside nos postos administrativos e localidades não tiver água para suprir necessidades diárias.

Segundo o Chefe do Estado, no quinquénio prestes a terminar uma das grandes lamentações da população era a falta de água, o que levou o governo a desenhar um projecto extraordinário para resolver o problema, através do PRAVIDA, uma iniciativa presidencial lançada em Nampula.

De acordo ainda com Filipe Nyusi, o projecto inclui não só construção de sistemas de abastecimento de água como também de represas e reservatórios para agricultura e abeberamento de gado e para o caso específico da Zambézia serão seis represas.

Jocas Achar