Imprimir
Categoria: Política
Visualizações: 1261

O PRESIDENTE da República, Filipe Nyusi, acaba de dirigir, na província de Cabo Delgado, as cerimónias centrais alusivas ao 60.º aniversário do Massacre de Mueda.

Logo após o desembarque na vila-sede distrital, o estadista depôs uma coroa de flores no monumento alusivo à efeméride e ouviu uma mensagem das crianças lida por ocasião do Dia da Criança Africana, que hoje se assinala.

“Pedimos ao Papá Nyusi que não se canse de lutar por nós”, disse uma criança em representação de todas as crianças moçambicanas.

Na mensagem, pediram o fim dos ataques terroristas em Cabo Delgado e da desestabilização protagonizada pela junta militar da Renamo, na região Centro do país.

Apelaram ainda ao Governo para continuar a tomar todas as medidas preventivas para evitar a propagação da pandemia do novo coronavirus.

 O Massacre de Mueda foi um dos últimos episódios da resistência do povo moçambicano à dominação colonial, que terminou com a morte de mais de 600 pessoas, naquela que foi uma demonstração de força para dissuadir os moçambicanos a lutarem pela sua independência.

Nesta deslocação a Cabo Delgado, o Presidente da República faz-se acompanhar pelos ministros dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Verónica Macamo Dlhovo; do Interior, Amade Miquidade; da Cultura e Turismo, Eldevina Materula; dos Combatentes, Carlos Jorge Siliya; quadros da Presidência da República e de outras instituições do Estado.