Imprimir
Categoria: Conversas ao sábado
Visualizações: 1445

O REPOUSO é o momento que dedicamos para o à-vontade do corpo e, assim, relaxarmos os inevitáveis cansaços que a vida nos dá. A labuta, logo que o dia nasce, espera-nos para que entremos em contacto com ela. E tudo acontece como se fosse, sempre, a primeira vez. Mas não há outra opção senão seguir o seu destino. Os calos vão cobrindo as palmas das mãos, dedos dos pés, tornozelos, calcanhares e …, enquanto o corpo transpira o caudal do rio Zambeze ou, se quisermos, da lagoa Ghorwane, de sacrifício. Porém, o repouso é necessário. Descansar é preciso. É, na verdade, uma forma de recuperar as baterias. Tal relaxar do Homem manifesta-se, como se observa nestas imagens do nosso colega Félix Matsinhe, numa diversidade simples de símbolos. Quando ele despertar, irá buscar a vida.