Imprimir
Categoria: Nacional
Visualizações: 1669

A PROPORÇÃO da população moçambicana adulta que não sabe ler e/ou escrever deverá baixar para níveis inferiores a 30 por cento dentro dos próximos nove anos, em resultado da intensificação de programas de alfabetização.

Para o efeito, o Governo aprovou esta semana um plano de acção de alfabetização de adultos, que pretende dar um novo alento aos programas que vêm sendo desenvolvidos desde a independência nacional.

Dados da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura(UNESCO) indicam que a taxa de analfabetismo de adultos no país é de 45por cento, sendo o número de mulheres que não sabem ler e nem escrever duas vezes superior ao dos homens.

Filimão Suaze recordou que quando da independência nacional o país tinha cerca de 90 por cento da sua população analfabeta, cenário que vem registando melhorias em resultado dos programas de alfabetização.

Segundo o Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano, o plano é de nove anos, sendo que a ideia é baixar o analfabetismo para 26 por cento até 2019.

A alfabetização de adultos no país envolve parceiros de cooperação e é implementada através de diversas formas, como uso da rádio e televisão comunitárias, num esforço que visa reduzir, de forma rápida, a proporção da população que não sabe ler, escrever e/ou realizar cálculos básicos.

De há alguns anos a esta parte, associou-se o ensino de competências para a vida como técnicas de corte e costura, horticultura, entre outras, aos programas de alfabetização de adultos como forma de combater o absentismo que fragilizava o processo.