Imprimir
Categoria: Nacional
Visualizações: 510

O governo, em parceria com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) e financiamento da União Europeia (UE), inaugurou uma pequena unidade fabril com capacidade para processar 700 quilos de mandioca por dia, na sede do distrito de Massingir, na província de Gaza.
A unidade fabril é fruto de um projecto designado “Melhoria da Cadeia de Valor da Mandioca na Província de Gaza”, que tem como objectivo estimular as micro, pequenas e médias empresas e contribuir para a redução da pobreza, através de oportunidades de geração de renda e de emprego nas zonas rurais, refere um comunicado de imprensa enviado à AIM.
A empresa privada, de pequena escala, vai também processar mandioca de outros 215 produtores das áreas circunvizinhas, contribuindo assim para a dinamização da produção de mandioca no distrito.
A unidade de processamento foi inaugurada pela governadora da província de Gaza, Stella Pinto Novo Zeca, que durante a sua intervenção apelou à população no sentido de trabalhar para aumentar a produção de culturas resistentes à seca, como a mandioca.
“As mudanças climáticas vieram para ficar e nós temos que apostar em culturas resistentes, que toleram a falta de água. A FAO aceitou o desafio de apoiar o governo no aumento da produção e no processamento da mandioca, mas também na multiplicação de estacas, e hoje veio apresentar-nos os resultados deste investimento. Nós agradecemos em nome da população”, disse a governadora.
“A nossa aposta é aumentar o consumo da mandioca. Se cada um de nós começar a incluir a mandioca no seu menu, estaremos a contribuir para que os nossos produtores possam aumentar cada vez mais a produção. E a mandioca é um alimento seguro e contribui para o desenvolvimento das crianças e dos adultos”, concluiu.
O representante da FAO, Olman Serrano, garantiu que aquela agência das Nações Unidas vai continuar a apoiar o governo na adopção de culturas cada vez mais resilientes às mudanças climáticas.
A iniciativa marca o culminar do Projecto de Cadeia de Valor da Mandioca nos distritos de Massingir e Mabalane, que iniciou em Junho de 2016.
Em Massingir, o projecto, que teve a duração de três anos, está a beneficiar 534 produtores (384 mulheres) organizados em seis associações e oito produtores individuais.
Inicialmente, foram estabelecidos 11,25 hectares de campos de multiplicação de estacas, de onde foram cortadas 112 420 para a criação de campos de produção de mandioca.
O distrito possui, actualmente, 62 hectares para a produção de estacas de mandioca, que poderá ser consumida fresca ou processada.
Já foram colhidos 18 hectares que produziram 214 470 quilos de mandioca fresca para o consumo das famílias ou para processamento e posterior venda em feiras e mercados.
O projecto já adquiriu três unidades de processamento mecânico, com capacidade para processar 700 quilos de mandioca por dia e que foram distribuídas por igual número de beneficiários do projecto.