Imprimir
Categoria: Nacional
Visualizações: 1526

A DIRECÇÃO Nacional de Veterinária (DINAV) decidiu manter a interdição da importação de gado bovino e carne de vaca da vizinha África do Sul, devido à prevalência de focos activos de febre aftosa na província do Limpopo.

Dos produtos proibidos, excluem-se os que passaram portratamento que inactiva o vírus e a carne desossada, deganglionada, submetida aum processo de maturação por pelo menos 24 horas a uma temperatura superior a 4ºC.

Paralelamente, estão a ser implementadas medidas adicionais no país, queincluem intensificação da fiscalização do movimento e trânsito de animais, produtos, subprodutos e forragens ao longo das principais fronteiras e/ou outros pontos de entrada e rodovia.

A chefe do departamento de Epidemiologia no Ministério da Agricultura e Segurança Alimentar (MASA), Florência Massango, explicou que não houve evolução na situação sanitária na vizinha África do Sul, daí a necessidade de manter as medidas de controlo.

A nível nacional, as autoridades veterinárias estão apreparar a aquisição de 450 mil doses de vacina trivalente para administrar em animais das zonas em risco de ocorrência da febre aftosa nas províncias de Maputo, Gaza, Inhambane, Manica, Tete, Sofala e Zambézia.

Aimunização completa do gado carece de 900 mil doses de vacina, razão pela qual o sector deverá mobilizar mais recursos financeiros para a segunda fase, a ter lugar no último trimestre.