Imprimir
Categoria: Nacional
Visualizações: 1345
O MINISTRO da Defesa de Portugal, João Gomes Cravinho, admitiu o apoio luso a Moçambique face aos ataques protagonizados por terroristas em Cabo Delgado e pela junta militar da Renamo no centro do país. 
O ministro destacou, porém, que esse apoio depende de um pedido do Governo moçambicano.
“Não existe, na União Europeia e na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, qualquer ideia de uma intervenção de apoio, mas isso poderá vir a justificar-se se houver impulso nesse sentido da parte do Governo de Moçambique”, afirmou João Gomes Cravinho, numa audição na comissão parlamentar de Defesa.
Na comissão, três deputados, nomeadamente do CDS, PS e PSD, colocaram perguntas sobre a “situação complexa” em Moçambique e questionaram, pela segunda reunião consecutiva, o ministro sobre a posição portuguesa.
“Logo que possível”, afirmou Cravinho, o ministro irá a Moçambique “com essa preocupação em mente”, além de outros pontos na agenda, e Portugal tem “a disponibilidade para apoiar, na medida que os moçambicanos considerem que é possível”.