Imprimir
Categoria: Nacional
Visualizações: 1190

O ATRASO na reorganização dos mercados, uma das medidas anunciadas pelo Ministério da Saúde para conter a propagação da Covid-19, preocupa o respectivo titular, Armindo Tiago, que terminou, ontem, uma visita de trabalho de quatro dias à província de Nampula

O governante manifestou esta preocupação após visitar, sexta-feira, o “Waresta”, o maior mercado grossista da zona norte, ora em requalificação e, posteriormente, o local, na zona do periférico bairro de Natiquiri, para onde os vendedores foram transferidos pelas autoridades municipais.

O Instituto Nacional de Saúde (INS) anunciou que nos resultados preliminares do inquérito sero-epidemiologico, na cidade de Nampula, ficou determinado que os mercados são os locais mais expostos à contaminação pela Covid-19.

O vereador para os Mercados do Concelho Municipal de Nampula, Osvaldo Ossufo Momade, explicou ao ministro que o trabalho de reorganização dos mercados está atrasado e que a reabertura do “Waresta”, por exemplo, não tem data definida.

A cidade de Nampula foi declarada pelo ministro Armindo Tiago, há perto de quatro semanas, como o primeiro local do país onde se regista o padrão de transmissão comunitária da Covid-19 e conta, actualmente, com o maior número de doentes e de óbitos.

“A nossa impressão é que os problemas dos mercados continuam, como viram dos resultados do inquérito de sero-prevalência. Os mercados são o local onde ocorre mais a transmissão na cidade Nampula. Estamos igualmente preocupados, porque o mercado transitório, onde estivemos, nos parece oferecer condições que não são melhores do que aquelas que estavam aqui, no “Waresta”, afirmou Armindo.

O governante levantou a hipótese de requalificação dos mercados um pouco por todo o país, mas apontou a importância da consciencialização individual e colectiva para o cumprimento das medidas de prevenção, numa perspectiva permanente e não sazonal.