Imprimir
Categoria: Nacional
Visualizações: 1031

FORJOU-SE como jornalista já em plena Redacção do “Notícias”.Por residir fora de Maputo, não teve a oportunidade de se sentar na carteira para aprender a ciência de reportar e redigir os factos que norteiam uma sociedade, mas a sua persistência transformou-lhe hoje num profissional de jornalismo, isso há mais de duas décadas. Pedro Nacuo, um cinquentenário, é sensível às injustiças. No seu trabalho, desmascarou indivíduos de conduta duvidosa e de comportamento social desviante. Confessa que no exercício da actividadenão sofreu pressões, pois tem bases suficientes e éticas bem consolidadas para lidar com a profissão. Na sua apreciação sobre o estágio do jornalismo hoje, Nacuo não tem dúvidas e é peremptório: “A classe jornalística está doente. O poder político-económico tira a independência do repórter e empobrece o jornalismo”. Nas linhas que se seguem, acompanhe a conversa que entabulámos com este profissional de comunicação social: Leia mais