Director: Lázaro Manhiça

QUINZE comunidades rurais das províncias da Zambézia e Cabo Delgado vão receber ainda no presente ano, dinheiro para implementar projectos de exploração e comercialização de produtos florestais não madeiros, numa iniciativa do Fundo Nacional de Desenvolvimento Sustentável denominada Eco Comunidade.

A iniciativa que visa reduzir o desmatamento foi lançada há dias na cidade de Mocuba, na Zambézia e é uma oportunidade de acesso a subvenções comparticipadas do Fundo Nacional de Desenvolvimento Sustentável. Paralelamente, a acção tem por objectivo o empoderamento e integração das comunidades locais no desenvolvimento de cadeia de valor sustentáveis.

A especialista em Florestas no Fundo Nacional de Desenvolvimento Sustentável, Rosalina Chavana, disse há dias à Reportagem do Notícias, em Mocuba, que há duas linhas de financiamento, sendo a primeira, aquelaem que as Organizações de base comunitária concorrem sozinhas com projectos estimados entre 300 mil a 1.5 milhão de meticais.

Na segunda linha, as mesmas organizações concorrem em pareceria com o sector privado com valores entre 600 mil a 12 milhões de meticais.

A fonte salienta que nas duas linhas de financiamento há comparticipação dos beneficiários e, na primeira, as comunidades contribuem com 15 por cento, dos quais 10 em activos e cinco depositados na conta do proponente e na segunda, os parceiros devem comparticipar com quarenta por cento, sendo trinta em activos e dez porcentoem dinheiro depositado na conta bancária.

O levantamento feito pelas autoridades do sector indicam que a nível da província da Zambézia existem 100 organizações de base comunitária.

Rosalina Chavana convidou as associações de mulheres, jovens e os comités de gestão de recursos naturais e cooperativas para submeterem os seus projectos e respectivos planos de negócios, a fim de explorarem produtos florestais não madeireiros, conservarem as florestas e ganharem dinheiro com a comercialização de produtos elegíveis nas duas linhas de financiamento.

Segundo a entrevistada, são projectos elegíveis os do ramo alimentar (mel, café, fruteiras, cogumelo, frutos silvestres, raízes, tubérculos, folhas e sementes), material de construção (estacas de bambu e espécies exóticas), artesanato (esculturas, cestos, tintas e tecidos), plantas medicinais e cosméticos (moringa, própolis, óleos essenciais, gengibre, óleo de coco, mussiro) e outros como fogões melhorados, briquetes e ceras. 

A Eco Comunidades será implementada em quinze comunidades das duas províncias sendo na Zambézia os distritos de Gúruè, Ile, Mulevala, Mocuba, Alto Molócuè, Gilé, Mocubela, Maganja da Costa, Pebane, Milange, Namarrói e Lugela e, em Cabo Delgado, nos distritos de Metuge, Ancuabe e Montepuez.

Segundo Chavana, a situação de desmatamento naqueles distritos é preocupante, o que põe em causa o ecossistema florestal.  

Em 2018 a área desmatada foi de mais cinco milhões de hectares e apontam-se as razões que estão por detrás, a agricultura itinerante, queimadas descontroladas e caça de animais. Leia mais

CONVERSAS AOS SÁBADOS

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

Presidente: Júlio Manjate

Administrator: Rogério Sitoe

Administrator: Cezerilo Matuce

JORNAL DIGITAL


Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction