Imprimir
Categoria: Ciência, Tecnologia e Ambiente
Visualizações: 867

ÁFRICA tem mais de 7 mil milhões de árvores fora das florestas. A constatação é de uma recente pesquisa co-realizada pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, FAO, e a Comissão da União Africana.

O continente acolheu a primeira colecta e análise de dados em nível global que revelou haver mais florestas e terras aráveis do que detectadas anteriormente.

A iniciativa “África Open Deal”, abreviatura em inglês para Dados para o Meio Ambiente, Agricultura e Terra, conta com o apoio da União Europeia, da Alemanha e da Turquia.

A FAO destaca que os dados digitais são precisos, abrangentes e harmonizados sobre o uso da terra e as mudanças nasua execução. O estudo detalha o resultado de mais de 300 mil pontos de amostragem, acompanhados entre 2018 e 2020.

A “Grande Muralha Verde”continental, uma iniciativa implementada desde 2007, que envolve árvores, pastagens, vegetação e plantas, tem 393 milhões de hectares de terra com potencial e oportunidades de restauração, segundo a pesquisa. Quase 350 milhões de hectares de terrasagrícolas são cultivados na África, mais que o dobro da União Europeia.

Foram as bases de dados da “Grande Muralha Verde”, que geraram o conhecimento e os dados biofísicos especializados através da parceria “Acção contra a Desertificação”.

O representante regional da FAO para a África, Abebe Haile-Gabriel, questionou a razão de se estar a falar sobre a continuação da fome no continente, destacando que com as informações novas e precisas será apoiado o combate ao problema.

O acesso aos dados e às informações do “África Open Deal”é aberto ao público através da plataforma geoespacial do EarthMap.