Director: Júlio Manjate

A UTILIZAÇÃO de testes rápidos para diagnóstico da Covid-19 ainda não foi validada pelo Ministério da Saúde (MISAU) que, no entanto, não descarta a possibilidade de recorrer a estes meios para melhor compreender o comportamento da doença no país.
O recurso a testes rápidos não tem colhido consenso a nível da comunidade científica, numa altura em que vários países afectados pela pandemia optam por esta via para suprir a escassez dos diagnósticos moleculares usados em laboratório.

Não obstante a produção em massa de testes rápidos, o Instituto Nacional de Saúde (INS) adverte para os cuidados a tomar em relação à sua fiabilidade.

“Os testes rápidos detectam a resposta do organismo à Covid-19, mas não detectam o vírus em si. Para efeitos de padronização é preciso confirmar se os testes rápidos foram validados a nível internacional. Depois desta etapa, haverá um momento em que o MISAU vai recomendar a utilização dos testes rápidos para compreender a epidemiologia”, explicou Sérgio Chicumbe, do INS.

Enquanto isso, os últimos dados oficiais ilustram uma contínua progressão de novas infecções. Ontem foram anunciados mais seis resultados positivos obtidos da análise feita a 288 amostras no laboratório de referência do INS e em centros privados.

Segundo a directora nacional de Saúde Pública, todos infectados são de nacionalidade moçambicana e cumprem isolamento domiciliar. Dois apresentam sintomas leves da doença e quatro não têm qualquer sintomatologia.

As amostras testadas entre quarta-feira e ontem resultam da vigilância activa, diagnóstico de suspeitas, rastreio de rotina nas unidades sanitáriaseda testagem de contactos regressados do acampamento de Afungi, em Cabo Delgado.

Com esta actualização, subiu para 162 o número de casos cumulativos de infectados no país, desde a eclosão da doença em Março último. Deste universo, 138 casos são de transmissão local e 24 importados. Sobre a localização dos casos positivos, Rosa Marlene deu a conhecer que dois pacientes estão na cidade de Maputo; três no distrito de Palma, em Cabo Delgado, e um no distrito de Changara, província de Tete.

Em relação ao paciente internado num dos hospitais públicos da capital, o INS avançou que o mesmo está a merecer especial atenção, tendo em conta o seu historial de doenças crónicas.

As equipas no terreno ainda estão a identificar os contactos expostos à paciente que abandonou o isolamento domiciliar no distrito de Zavala, província de Inhambane. Sérgio Chicumbe explicou que a testagem imediata dos contactos pode não revelar a presença do vírus devido ao período de encubação.

Comments

O USO das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) deve ser massificado no país, de modo a garantir maior eficácia e eficiência na prestação de serviços públicos ao cidadão.

Um passo nesse sentido, segundo o Primeiro-ministro, Carlos Agostinho do Rosário, será rentabilizar o Centro de Dados do Governo, localizado em Maluana, província de Maputo, que tem a vocação de garantir o armazenamento de dados do sector público e privado com segurança e privacidade.

Falando ontem em Maputo, pouco depois de empossar o novo director-geral do Instituto Nacional do Governo Electrónico (INAGE), Ermínio Jasse, o Primeiro-ministro disse que esta instituição deve reforçar os mecanismos que asseguram o funcionamento consistente e em tempo útil da Rede Electrónica do Governo (GovNet).

“A direcção do INAGE deve coordenar com as instituições competentes para garantir a segurança cibernética no nosso país e apostar numa gestão criteriosa da coisa pública, tendo sempre em atenção o desenvolvimento do capital humano, afim de responder aos desafios da economia digital”, disse.

Ainda ontem, Carlos Agostinho do Rosário conferiu posse ao coordenador nacional do Gabinete de Desenvolvimento do II Programa Millennium Challange Compacto-Moçambique, Higino de Marrule, a quem exigiu fleixibilidade na identificação de projectos concretos e de impacto social e económico, de modo a assegurar o maior financiamento possível para o programa nacional.

O Primeiro-ministro recordou que Moçambique foi seleccionado, em finais de 2019, por uma instituição da administração norte-americana designada “Millennium Challenge Corporation (MCC)” para um segundo programa compacto, em reconhecimento do compromisso do Governo na adopção de políticas económicas e reformas que incentivem o desenvolvimento económico e social do país.

Para Carlos Agostinho do Rosário, este programa complementa as acções do Governo, sobretudo no que se refere à implementação de projectos nas áreas de energia, desenvolvimento de infra-estruturas rodoviárias, abastecimento de água potável e saneamento, entre outras.

“Neste contexto, recomendamos ao coordenador nacional do Gabinete de Desenvolvimento do Segundo Programa Millennium Challenge Compacto para que priorize também o envolvimento activo do sector privado, organizações da sociedade civil, academia, entre outros, nas várias fases da sua implementação”, exortou o Primeiro-ministro.   

Comments

A primeira vacina contra o novo coronavírus a ser testada em pessoas indica ser segura e capaz de estimular uma resposta imune contra o vírus, afirmou, segunda-feira, a empresa fabricante Moderna.

A constatação é baseada nos resultados das oito primeiras pessoas que receberam duas doses da vacina. Esses voluntários saudáveis produziram anticorpos que foram testados em células humanas no laboratório e foram capazes de impedir a replicação do vírus, factor que é preponderante para a eficácia de uma vacina.

Os níveis dos chamados anticorpos neutralizantes correspondiam aos encontrados em pacientes que se recuperaram após contraírem a Covid-19.

De acordo com a empresa, que está apressando seu planeamento, a segunda fase envolve 600 voluntários e uma terceira, prevista para Julho, deve ter milhares de pessoas saudáveis disponíveis para realizar o teste.

Caso os testes prosperem, uma vacina poderá ficar disponível para uso até o final deste ano ou no início de 2021. Quem garante é Tal Zaks, director médico da Moderna, ao jornal The News York Times.

A quantidade de doses que estarão disponíveis ainda não está definida. Zaks afirma, no entanto, que a Moderno está “fazendo o possível para alcançar o maior número possível de doses”.

Estados Unidos, União Europeia e China são os protagonistas na corrida por uma vacina comprovadamente eficaz contra o novo coronavírus.

Ainda de acordo com a Moderna, testes adicionais em camundongos que foram vacinados e infectados descobriram que a vacina poderia impedir o avanço do vírus nos pulmões e que os animais possuíam níveis de anticorpos neutralizantes comparáveis aos das pessoas que receberam a vacina.

Três doses da vacina foram testadas: baixa, média e alta. A dose alta está sendo eliminada de estudos futuros porque as doses mais baixas parecem funcionar tão bem que a dose alta não é necessária.

“Quanto menor a dose, mais vacina poderemos fazer”, projectou Zaks.

Comments

O GOVERNO da província de Manica acaba de criar uma equipa multissectorial que, nos próximos dias, deverá deslocar-se ao distrito de Machaze, onde foi diagnosticado o primeiro caso positivo do novo coronavirus em um cidadão deportado da África do Sul.

Machaze é o primeiro distrito dos doze da província de Manica a registar caso de Covid-19.

A equipa envolve técnicos da Saúde, do Instituto Nacional de Gestão das Calamidades (INGC), da Polícia da República de Moçambique (PRM), entre outros que vão monitorar a pessoa infectada pela Covid-19 e fazer o rastreio a toda a sua rede de contactos.

A decisão foi tomada ontem, em Chimoio, na reunião de monitoria e avaliação das acções de prevenção e combate ao novo coronavírus durante o período de emergência.

Na ocasião, o secretário de Estado de Manica, Edson Macuácua, que orientou a reunião, chamou atenção para a necessidade de a população se manter firme e coesa na luta contra o coronavírus, evitando algumas práticas que atentam à saúde pública.

“Passamos para a lista daquelas regiões com casos de novo coronavirus. É importante que reforcemos as nossas acções de combate à doença para que não passemos para situações em que teremos transmissões comunitárias. Cada cidadão deve ser responsável para evitar que a doença se propague por toda a província”, apelou.

Segundo Macuácua, uma das medidas será a colocação de alguns postos de fiscalização e testagem aos camionistas que passam pela província com destino a outros países da região de África.

“A fiscalização tem de ser reforçada na via pública para evitarmos a circulação de pessoas. Os automobilistas, principalmente os camionistas, serão submetidos a testes porque queremos tentar controlar para que o caso de Machaze não seja uma via para disseminação da doença pela província”, disse.

“Temos de usar as máscaras, fazer a desinfecção das mãos com lavagem frequente e uso de álcool, distanciamento social e outro tipo de bloqueio para evitar a propagação da doença”, acrescentou.

O único caso de Covid-19 foi diagnosticado em Machaze e trata-se de um cidadão repatriado da África do Sul.

Machaze é uma região que se localiza na zona fronteiriça com África do Sul. O movimento de pessoas de e para África do Sul é feito de forma regular, facto que exige do Governo o redobrar de esforços para travar a propagação da doença naquele ponto do país.

Na província de Manica, 83.289 mil pessoas já foram submetidas ao rastreio da doença. Deste número, 471 estiveram em quarentena.

(Notícias/AIM)

Comments

A FALTA de melhores incentivos para os catadores de vidro que operam nas praias da capital do país é um dos factores que pode retrair os munícipes a aderirem a esta iniciativa que contribui para melhorar a imagem destes locais de lazer, segundo defende o ambientalista Carlos Serra. Leia mais

Comments

CONVERSAS AOS SÁBADOS

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

Administrator: Rogério Sitóe

Administrator: Cezerilo Matuce

JORNAL DIGITAL


Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction